quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Cine Catástrofe - Anos 2000 : Parte 1

"The Perfect Storm" (Mar em Fúria, 2000) de Wolfgang Petersen,conta as agruras da tripulação (George Clooney, Mark Wahlberg, John C.Reilly...) do barco pesqueiro Andrea Gail, para sobreviver durante um gigantesco tsunami. Baseado em um fato real acontecido em Outubro de 1991.







"Vertical Limit" (Limite Vertical, 2000) de Martin Campbell, é um drama de aventura, sobre um alpinista (Chris O'Donnell) que precisa resgatar sua irmã (Robbin Tunney) que ficou presa junto com sua equipe a quase 8.000 metros de altura na montanha K2, o segundo lugar mais alto da Terra.




A TV continuou produzindo seus pequenos disaster-movies como "On The Beach" (A Hora Final, 2000) de Russell Mulcahy, com Armand Assante e Rachel Ward, remake estendido (195 min.) e premiado (Globo de Ouro para Melhor Mini Série para a TV) do filme homônimo de 1959. A guerra nuclear entre Estados Unidos e China provoca a devastação mundial 





O canadense "Avalanche Alley" (A Fúria da Avalanche, 2001) de Paul Ziller, com Nick Mancuso, é sobre jovens que provocam uma avalanche durante uma competição de esqui. O diretor Ziller é um especialista em filmes de terror, ficção e desastre para a TV. Também com Nick Mancuso ( e produção de Roger Corman), ele rodou "Firefight" (2003), sobre um assalto durante um incêndio florestal...



 "The Core" (O Núcleo - Missão ao Centro da Terra, 2002) de Jon Amiel, mostra uma equipe que vai ao centro do planeta para detonar uma bomba e fazer com que o núcleo da Terra volte a girar. 



O núcleo parado provoca a deterioração do magnetismo do planeta e diversos fenômenos naturais desastrosos, como violentas tempestades magnéticas, ondas de calor, terremotos, etc.





Uma versão trash saiu pelas mãos da produtora Cinetel: "Scorcher" (Impacto Fulminante, 2002) de James Seale, com Mark Dacascos, Rutger Hauer e John Rhys-Davies. Aqui, são as placas tectônicas do planeta que estão mudando e criando uma pressão que pode provocar uma erupção de lava mundial. A detonação de uma bomba nuclear no sub-solo de Los Angeles é a solução...



"Atomic Twister" ( 2002) de Bill Corcoran, também feito para a TV, mostra uma série de tornados que ameaçam uma usina nuclear americana...
 

"The Day After Tomorrow"(O Dia Depois de Amanhã  2004) de Roland Emmerich, descreve o rápido aquecimento global e as mudanças climáticas com um sortimento variado de desastres, como tsunamis, tornados e ondas de frio glacial.
Dennis Quaid vive o cientista que tenta alertar o mundo sobre o desastre, e depois tem que resgatar seu filho (Jake Gyllenhaal) em uma New York congelada. 






O alemão Emmerich, que começou em seu país natal uma carreira dedicada a filmes de ficção científica inspirados por Hollywood, depois de se mudar para os EUA, se tornou uma espécie de "Irwin Allen" dos novos tempos, destruindo o mundo em produções grandiosas (e vazias) como Independence Day" (1996), "Godzilla" (1998), "The Day After Tomorrow" e "2012" (em 2009)...

O sucesso do blockbuster de Emmerich motivou a produtora picareta Nu-Image a criar uma série de filmes muito baratos explorando diversos desastres. Efeitos tacanhos em CGI, elenco barato, roteiros rápidos misturando tramas policiais e uso extensivo de stock-footage...eis a fórmula de:



"Nature Unleashed: Avalanche" (Avalanche- Enterrado Vivo!, 2004) de Mark Pope; "Nature Unleashed: Fire" (Fire: Destruição Implacável, 2004) de Allan Goldstein; "Nature Unleashed: Earthquake" (Terremoto, 2005) de Tibor Takács; "Nature Unleashed: Tornado" (Tornado, 2005) de Alain Jakubowicz; e " Nature Unleashed: Volcano" (Volcano, 2005) de Mark Roper...






...e as produções trash da Nu-Image inspiraram uma dúzia de pequenas produtoras a começarem a fazer o mesmo; são os chamados "Mockbusters"...






 O gênero voltou a super-produção com "Poseidon"  (2006) de  Wofgang Petersen ( de Mar em Fúria), um remake de "O Destino de Poseidon" (1972), que apesar de um grande desempenho nas bilheterias mundiais, foi massacrado pela crítica...com toda razão... Apesar dos efeitos grandiosos e elenco famoso (Kurt Russell, Richard Dreyfuss, Josh Lucas e até a cantora Fergie...), peca por um roteiro frouxo e de qualquer empatia com os envolvidos na tragédia - um problema comum nestas grandes produções...






quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Cine Catástrofe - Capítulo 4 : O Revival

O pontapé para o revival do gênero nos anos 90 foi "Alive" (Vivos, 1993) de Frank Marshall. Baseado no acidente aéreo do avião 571 da Força Aérea Uruguaia (Outubro de 1972); conta como os sobreviventes enfrentam o frio e as avalanches de neve da Cordilheira dos Andes, e precisam apelar para a antropofagia para poder se alimentar.



A história já havia sido contada no drama mexicano "Supervivientes de los Andes" (Os Sobreviventes dos Andes, 1976) de René Cardona e René Cardona Jr.; que apesar dos tons mais exploitation (ou por isso mesmo...), é superior a esta versão morna americana...




"Apollo 13" (Apollo 13 - Do Desastre ao Triunfo, 1995) de Ron Howard, com Tom Hanks, Ed Harris e Kevin Bacon, recria o acidente (Abril de 1970) com a nave espacial tripulada que devia descer na Lua, mas sofreu uma explosão no módulo de serviço...




"Apollo 13" fez com que a infortúnia frase "Houston, we've had a problem" ("Houston, nós tivemos um problema") entrasse definitivamente no vocabulário pop. Com o astro em ascendência Tom Hanks como protagonista, o filme foca o esforço da tripulação e da base da Nasa para tentar trazê-la de volta à Terra, após uma grave pane, salvando a vida dos astronautas a bordo. O sucesso vultoso de bilheteria (faturou mais de 355 milhões), porém, só ganhou dois Oscars "técnicos": melhor edição e som 





"Outbreak" (Epidemia, 1995) de Wolfgang Petersen, com Dustin Hoffman e Morgan Freeman (presente em muitos filmes do gênero!), contava a luta de virologistas do exército para conter o avanço de um vírus mortal chamado Motaba (uma espécie de Ebola ficcional) nos Estados Unidos.



"Virus" (1995) de Armand Mastroianni, baseado na novela de Robin Cook "Outbreak", é um um drama médico feito para a TV, sobre uma médica que luta para evitar uma epidemia de Ebola nos Estados Unidos, e descobre que o vírus saiu do lugar aonde ela trabalha...




Já o chinês "Ebola Syndrome" (no original:Yi boh lai Duk, 1996) de Herman Yau, utiliza o vírus como fundo para uma história de muita violência, sexo, gore e humor (!?). Um homem brutal (Anthony Wong) procurado por assassinato, contraí o vírus Ebola na África (ao estuprar uma nativa doente) e ao voltar para Hong Kong, comete outros crimes e espalha a doença...






"Daylight" (1996) de Rob Cohen, conta os esforços de um ex-bombeiro (Sylvester Stallone) para salvar vítimas presas em um túnel de New York, que desabou depois de um acidente com a explosão de produtos químicos que eram transportados.





Nesse mesmo ano  foi lançado o mega-sucesso "Twister" (1996) de Jan de Bont, com uma equipe de caçadores de tempestades  (Helen Hunt, Bill Paxton), estudando um surto maciço de tornados no centro-oeste americano. 



Um filme bem fraco, na verdade, mas os efeitos digitais começaram a ser utilizados de forma mais ampla, barateando os custos e atraindo o público para uma nova leva de filmes do gênero.



Na sua esteira apareceram na TV:  "Tornado!" (1996) de Noel Nosseck, com Bruce Campbell; "Night of The Twisters" ( Tornado - A Fúria, 1996) de Timothy Bond; "Storm Chasers: Revenge of the Twister" (1998) de Mark Sobel... 




Em 1997, estrearam dois filmes sobre erupções vulcânicas: "Volcano" (Volcano - A Fúria) de Mick Jackson, com Tommy Lee Jones e Anne Heche; e  "Dante's Peak" ( O Inferno de Dante) de Roger Donaldson, com Pierce Brosnan e Linda Hamilton. 










"Titanic" (1997) de James Cameron ( produção, roteiro e direção) reconta a história épica, com uma super-produção.


O filme combinando romance (em excesso), melodrama com efeitos especiais (ótimos, mas apenas na segunda parte dos longos 194 minutos) foi um enorme sucesso, tornando-se o filme de maior bilheteria durante 12 anos,  e ganhando 11 prêmios da Academia, incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor. Mas é apenas um disaster-movie com muito dinheiro investido...




E para lembrar, outras versões da tragédia chegaram antes via TV, "S.O.S. Titanic" (1979) de William Hale e "Titanic" (Titanic 2 (!??), 1996) de Robert Lieberman, com George C. Scott, Catherine Zeta-Jones e Tim Curry (uma versão melhor do que parece, com efeitos muito bons e algumas semelhanças com o filme de Cameron...).






"Turbulence" (Turbulência, 1997) de Robert Butler, coloca um psicopata (Ray Liotta), ameaçando todos em um avião em pleno voo, e Lauren Holly, como a aeromoça heroína.




O revival continuou  com os lançamentos de verão dos filmes sobre impactos de cometas/asteroides gigantes : "Deep Impact" Impacto Profundo, 1998) de Mimi Leder, com Robert Duvall, Vanessa Redgrave e Morgan Freeman; mais focado nas implicações políticas e logísticas de uma situação catastrófica, no caso um cometa em direção a Terra...





 ... e "Armageddon" ( Armagedom, 1998) de Michael Bay, com Bruce Willis, Billy Bob Thornton e Liv Tyler. Mais um filme sobre aventura espacial, do que catástrofe, com um enredo absurdo sobre uma equipe de mineradores que salvam a terra, mas que foi um grande sucesso de bilheteria. 







"Firestorm" ( Tormenta de Fogo, 1998) de Dean Semler, com Scott Glenn e Howie Long, explora o desastre de um incêndio florestal próximo a uma cidade.



"Hard Rain" (Tempestade, 1998) de Mikael Salomon, com Morgan Freeman, Christian Slater e Randy Quaid, utiliza a inundação de uma cidadezinha americana após uma tempestade, como pano de fundo para uma história policial sobre a tentativa de roubo de um carro-forte.



Com o uso extensivo do CGI que barateou os custos dos efeitos especiais, os filmes do gênero começaram a ir para um caminho inverso da fase de ouro dos anos 70, a TV e pequenas companhia produtoras, despejaram uma "avalanche" de filmes de catástrofe com orçamentos mínimos, roteiros repetitivos e sem nenhum grande astro...