quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Extremos: Anões & Gigantes no Cinema Fantástico (Parte 2)


* Santanón (Rafael Muñoz Andrete- 1929-2002): Um dos mais conhecidos (dos muitos) anões do cinema fantástico mexicano. Nascido em uma família pobre do interior, foi colhedor de algodão e vendedor ambulante de artesanato.
Convidado para completar o elenco de um espetáculo teatral, começou sua carreira artística e estreou no cinema em 1944. Com "La Caperucita Roja" ( O Chapeuzinho Vermelho,1960), iniciou uma série de atuações dentro de fantasias de animais em filmes infantis, assim como muitos colegas americanos. 



Foi o "Zorrillo Apestoso" ("Gambá Fedido") em 4 filmes com a personagem Chapeuzinho Vermelho, de onde destacamos o incrível "Caperucita y Pulgarcito Contra los Monstruos" (1962) de Roberto Rodríguez...




... uma louca aventura infantil com os personagens dos contos de fadas enfrentando monstros clássicos (Vampiro,ogro, monstro de Frankenstein). 

Ele também viveu o galante e aventureiro "El Gato con Botas" (1961), dentro de mais uma pesada fantasia, antes de entrar para o mundo dos luchadores e filmes de terror.



Assinando como Enano Santanón, apareceu em "Santo Contra El Rey del Crimen" (1961); "Las Vengadoras Enmascaradas" (1963); "Aventuras de las Hermanas X" (1963) e "Las Hijas del Zorro" (1964), todos de Federico Curiel.






Quando o produtor Luiz Enrique Vergara conseguiu um contrato com o velho astro internacional do terror Boris Karloff, Santanón apareceu em destaque em "La Cámara del Terror" (A Câmara do Terror, 1968) e, principalmente em "La Muerte Viviente" (Os Mortos Vivos, 1968) de Juan Ibáñez e Jack  Hill.



Santanón viveu o personagem título do drama/terror "El Satánico" (1968) de José Díaz Morales, com a estrela sexy Libertad Leblanc. Ele faz um anão que é envolvido por um criminoso em um roubo e caba se tornando um perigoso assassino...



Ele esteve ao lado de outro astro veterano do terror, John Carradine, em "Enigma de Muerte" (O Enigma da Morte, 1969) de Federico Curiel, com o luchador Mil Máscaras. A trama de suspense e espionagem se passa em um circo, e Santanón faz um palhaço malvado...
Santanón foi Waldo, o sádico assistente do cientista maluco Dr. Halder (Carlos Ancira) no clássico da lucha-libre " Santo y Blue Demon Contra los Montruos" (Santo Contra os Monstros de Frankenstein, 1969) de Gilberto Martínez Solares.







"La Montaña del Diablo" (1975) de Juan Andrés Bueno e Javier Durán, é outra das incríveis misturas de gêneros do cinema mexicano. Uma aventura no western com o herói El Payo (Jorge Rivero), com elementos de terror e realismo mágico com nítidas influências de "El Topo" (1970) e "A Montanha Sagrada" (1973) de Alejandro Jodorowsky! Santanón faz um dos personagens fantásticos, assim como suas participações em adaptações de Edgar Allan Poe para a TV mexicana (1980) e francesa (Histoires Extraordinaires, 1981, episódio dirigido por Juan Luis Buñuel). Rafal Muñoz Santanón se retirou da vida artística e em 1997 passou a viver em um asilo sustentado por uma pensão da Associação Nacional de Atores do México. Ele sofreu um infarte agudo e faleceu aos 73 anos. 



*Zelda Rubinstein (1933-2010) Americana, filha de imigrantes judeus; Zelda foi a caçula e nasceu com um problema na glândula pituitária, que limitou seu crescimento (1,30m). Formada em bacteriologia, trabalhou como técnica de laboratório, até resolver pela carreira artística. Começou nas comédias "Americathon" (1979) e "Hotel das Confusões" (1981). Sua grande chance apareceu com "Poltergeist" (Poltergeist- O Fenômeno, 1982) de Tobe Hooper, com produção e roteiro de Steven Spielberg.




Vivendo a excêntrica vidente Tangina Barrons, que ajuda a família Freeling à enfrentar forças sobrenaturais que assombram sua casa e raptam a caçula Carol;  Zelda criou a personagem que marcou sua carreira.




Ela voltaria em "Poltergeist II: The Other Side" (Poltergeist 2, 1986) de Brian Gibson. A família Freeling se muda de casa, mas as forças diabólicas estão de volta. Surge o macabro Reverendo Kane (Julian Back) e Tangina (Zelda) é chamada para intervir novamente. A diminuta mas corajosa médium conta agora com um feiticeiro índio (Will Sampson) do seu lado.



Ótima atriz, Zelda foi chamada pelo diretor catalão Bigas Luna para "Angustia" (Os Olhos da Cidade São Meus, 1987).
Uma mãe demente (Zelda Rubinstein) controla telepaticamente seu filho de meia-idade (Michael Lerner), obrigando-o a cometer assassinatos sangrentos.



 Os olhos das vítimas são arrancados e  adicionados à uma macabra coleção. Mas a  família bizarra é apenas um filme: O verdadeiro horror está no cinema, aonde o público  que está assistindo este filme-dentro-do filme enfrenta um assassino verdadeiro. "Angustia"  mistura perfeitamente a linha entre a realidade e o mundo fantástico do cinema .




Em "Poltergeist III" (1988) de Gary Sherman, Tangina acude novamente a menina Carol, que agora vive com parentes em um moderno edifício em Chicago. Sequencia desnecessária e com roteiro fraco. 




Como acontece muito em Hollywood, Zelda ficou marcada com  este personagem, sendo escalada para papéis derivativos em produções vagabundas.
Ela foi a Madame Serena na comédia "Teen Witch" (1989); a Mãe Clodah em "Little Wishes"( A Maldição das Bruxas, 1996) de Dorian Walker; apareceu em "Wishcraft" (Feitiço Macabro, 2002) de Danny Graves e Richard Wenk e uma ponta como Doutora Katarina Kuntzler em "Southland Tales: O Fim do Mundo" (2006)...Alem de ter participado de um episódio da tele série "Poultergeist: The Legacy" (1996)...





Graças a sua característica "voz de boneca", ela fez dublagens para desenhos animados e foi a narradora da série de documentários "The Scariest Places on Earth" (2000). Seu éltimo papel, já como um ícone do terror foi em "Behind the Mask: The Rise of Leslie Vernon" (2006) de Scott Glosserman, que contou também com a presença de Robert "Freddy Krueger" Englund.



Zelda foi uma ativista pelos direitos humanos, dando apoio à portadores de AIDS e lutando pelos direitos do chamado "Little People";  pessoas que assim como ela tinham problemas de crescimento. Ela sofria de problemas cardíacos e faleceu de "causas naturais" no Los Angeles Hospital aos 76 anos.
 


*Hervé Villechaise (1944-1993) O famoso Tatoo da série cult da TV "Fantasy Island" ( A Ilha da Fantasia, 1978-1983), nasceu em Pais, França, de parentes filipinos. Portador de uma desordem endócrina, seu corpo parou de crescer (1,17m) mas seus órgãos internos alcançaram o tamanho dos de uma pessoa de estatura "normal". 
Adotado pela família de um cirurgião, estudou em ótimos colégios e se tornou artista plástico e fotógrafo. Depois dos 21 anos, se mudou para os EUA e passou a trabalhar no cinema e TV.




                                           com Ricardo Montalban na Ilha da Fantasia


Estreou no cinema fantástico como "Bobo" na obscura comédia gore "Malatesta's Carnival of Blood" (1973), a história de um pequeno circo que é na verdade a fachada para um culto de fanáticos que se alimenta de carne e sangue humano. 




Na aventura "The Man with the Golden Gun" (007 Contra o Homem da Pistola de Ouro, 1974), moldou sua persona mais famosa: Polido, cínico e impecável em seu diminuto paletó branco. Seu personagem NIck-Nack é o braço direito do super-vilão Scaramanga (Christopher Lee).



                                               Hervé Villechaise com Christopher Lee



                                   Nick Nack (Hervé) tortura James Bond (Roger Moore)

No Canadá rodou o primeiro filme de Oliver Stone "Seizure" (1974), um estranho terror sobre um escritor (Jonathan Frid) que é assombrado por um trio de personagens macabros que ele havia criado em seus livros. Hervé é o anão-maligno chamado "O Aranha".





Também esteve no primeiro filme do músico /ator /diretor / produtor Richard Elfman (irmão de Danny Elfman) : "Forbidden Zone" (1980), uma comédia-musical fantástica-erótica sobre uma porta para a sexta dimensão, aonde Hervé é o Rei Fausto...



Além de se dedicar a série Ilha da Fantasia, Hervé apareceu ainda em "Apertem os Cintos o Piloto Sumiu II" (1982); "no infantil "Rumpelstiltskin" (1983); "Um Toque de Sedução" (1988) e em programas de TV.



Seus problemas de saúde se agravaram e ele se tornou depressivo e alcoólatra.
Hervé Jean-Pierre Villechaize se matou com um tiro no quintal de sua casa em Hollywood e deixou um bilhete e um vídeo explicando os motivos... 






domingo, 21 de setembro de 2014

Extremos: Anões & Gigantes no Cinema Fantástico (Parte 1)

O que é considerado anormal para uma pessoa ás vezes é perfeitamente normal para outra. Pessoas com alturas extremas - Anões & Gigantes - sempre foram utilizadas pelo cinema fantástico. Quer seja por economia de efeitos especiais, ou pela simples fascinação que despertam sobre o grande público, formado na maioria por pessoas, digamos assim...normais.




NANISMO: Os anões são pessoas com o tamanho reduzido, ocasionado por causas genéticas (chamado Nanismo Primordial), ou por doenças como osteomielite, deficiências na tireoide, no hormônio de crescimento, ou complicações durante a gestação. 
Literalmente centenas de anões já foram promovidos de mera curiosidades de parques e circos para o fascínio e horror nas telas. Desde o cinema mudo até a saga do "Senhor dos Anéis", passando pelos pigmeus-fakes de filmes como "Tarzan" (1932); o "Mágico de OZ" (1939); os "Ewoks" da série "Guerra nas Estrelas"; ou indo do raro trash "The Terror of Tiny Town" (1938), um western protagonizado apenas por anões, ao cult e intelectualizado "Os Anões Também Começaram Pequenos" (1970) do alemão Werner Herzog....





                                                                    Tiny Town


                                                    A fábula de Werner Herzog


O "maior baixinho" de todos os tempos na telas foi sem dúvida, o grande *Angelo Rossitto (1908-1991) com 86,3 cm de puro talento. Descoberto pelo ator John Barrymore, quando trabalhava em sua banca de jornais em Hollywood. 


Estreou no cinema em 1927 e fez dois filmes com o ícone Lon Chaney. Na comédia de suspense "Seven Footprints of Satan" (Nos Domínios de Satã, 1927) de Benjamin Christensen , fazia o papel de um "anão sinistro" que ajuda a assustar um casal em uma casa-mal-assombrada.



 Em "The Mysterious Island" (A Ilha Misteriosa, 1929) de Lucien Hubart e Benjamin Christensen (baseado em Jules Verne) entre dragões, lulas gigantes estava uma raça de homens-peixes que habitam as profundezas do mar. Rossitto era um delas com uma fantasia full-body...



Ele foi Angelino, uma das atrações de circo em "Freaks" (Monstros, 1932) de Tod Browning, um clássico do cinema e o melhor (e mais dignificante) filme a utilizar os chamados "freaks" (pessoas com deformações).



                                                          Rossitto com Johnny Eck


 Um drama com final de filme de terror, bastante censurado na época.
Muitas pessoas acharam que era tudo de mau gosto e uma exploração com o elenco especial.  Mas os artistas pareciam estar contentes de ter a oportunidade de trabalhar, e toda a cerne do filme é que os "freaks" são mais decente do que a "normal" Cleópatra (Olga Baclanova) , a trapezista que se casa com o anão Hans (*Harry Earls) por seu dinheiro. "Freaks" ainda é um filme muito poderoso e único. Ele tem inspirado muitas pessoas criativas ao longo dos anos desde os surrealistas até The Ramones passando por Jodorowsky e David Lynch. 



Angelo nunca mais parou de trabalhar, esteve em "Babes in Toyland" ( Era Uma Vez Dois Valentes,1934), com a dupla O Gordo & o Magro; "Dante's Inferno" (A Nave de Satã, 1935);
"Ali Babá e os 40 Ladrões" (1944); "Sherlock Holmes e a Mulher Aranha" (1944) com Basil Rathbone; "Sansão e Dalila" (1949); "O Barão Aventureiro" (1950) com Vincent Price...   



                                   Angelo como um pigmeu em "A Mulher Aranha"...

Rossitto participou de diversos filmes de terror e suspense baratos com seu amigo Bela Lugosi ("Spooks Run Wild" 1941; "The Corpse Vanishes" 1942); "Scared to Death" 1947), e com outros titãs do horror, como Boris Karloff ( "Mr. Wong no Bairro Chinês" 1939; "Doomed to Die" 1940 ) e Vincent Price ("O Barão Aventureiro" 1950; "Vício que Mata", 1962)...



                                                                Scared to Death



                                                    
                                                                     Mr. Wong

Ele foi o assistente do cientista-muito-louco de "Mesa of Lost Women" (1953) ; um alienígena invasor em "Invasion of the Saucer Man" (1957) e esteve em "A Espada Mágica" (1962);  "O Fabuloso Doutor Dolittle" (1967); "The Trip" (Viagem ao Mundo da Alucinação,1967) de Roger Corman...





                                                                            The Trip

Na TV, "Little Angie", como era conhecido, teve papéis fixos nas séries infantis "H.R.Punfstuff" (A Flauta Mágica) e "Lidsville" e participou das série " O Agente da U.N.C.L.E."; "Baretta" (personagem semi-fixo em sua homenagem como o vendedor de jornais Little Moe); "O Incrível Hulk"; "Jason of the Star Command"; "Amazing Stories" e outras.



Participou das tranqueiras-cult de Al Adamson "Dracula Vs. Frankenstein" (1971) e "Brain of Blood" (1972), e nos igualmente Trash "The Dark" (1979) de John Bud Cardos e "Galaxina" (1980) de William Sachs...



                                                             Dracula X Frankenstein



Diminuiu seu ritmo de trabalho nos anos 80 por causa de problemas de visão, mas esteve em "Something Wicked This Way Comes" (1982) de Jack Clayton, baseado em livro de Ray Bradbury e foi "The Master", o cérebro da dupla-gêmea de vilões "Master-Blaster" em "Mad Max - Além da Cúpula do Trovão" (1985) de George Miller, com Mel Gibson e Tina Turner.



Antes de se aposentar, ainda apareceu com Vincent Price em "The Offspring" (Do Sussuro Ao Grito, 1987) de Jeff Burr. Rossitto morreu em 1991 de complicações pós-operatórias aos 86 anos.




*Harry Earles (1902-1985) nasceu na Alemanha e foi para os EUA com suas duas irmã para trabalharem no Circo Ringling Brothers & Barnum . Estreou no cinema mudo com o clássico "The Unholy Three" (A Trindade Maldita, 1925) de Tod Browning. Ele aparece como um malandro que se disfarça de bebê (com seus 0,99m) para ajudar o vilão Lon Chaney (com disfarce de uma velha senhora) a cometer um roubo de jóias e um assassinato. 




Na refilmagem sonora de 1930, Harry pareceu mais sinistro ainda com sua voz de criança maligna, mas ele tinha o mesmo problema que limitou a carreira de Bela Lugosi, um sotaque alemão muito acentuado, difícil de compreender.



Seu principal papel foi em "Freaks", como o noivo enganado e que conta para seus amigos de circo como sua amada queria mata-lo por dinheiro. Sua presença é ao mesmo tempo frágil e assustadora. A personagem da anã que é apaixonada por ele era vivida por sua irmã Daisy Earles.




Depois de "Freaks", ele apareceu apenas em algumas comédias curtas e em uma ponta em "O Mágico de OZ" (1939). Harry (cujo nome verdadeiro era Kurt), voltou a trabalhar no circo com suas irmãs até a metade dos anos 50, quando todos se aposentaram...



*Michael Dunn ( Gary Neill Miller,1934-1973) ficou famoso por seus papéis de vilões tão maquiavélicos quanto pequenos (com 1,17 m). Depois de várias participações em séries de TV como "Viagem ao Fundo do Mar"; "Agente 86" e "Jornada nas Estrelas", foi escalado para viver o vilão Dr. Miguelito Loveless em "The Wild, Wild West" (James West, 1965-1969). 




No velho Oste, este cientista louco megalomaníaco causa muitas dores de cabeça para os Agentes James West e Artemus Gordon. Nos primeiros episódios em que apareceu, ele tinha como auxiliar o poderoso Voltaire (o gigante *Richard Kiel, 2,18m ).



                                                    Michael Dunn &  *Richard Kiel

Dunn foi Pierre Triboulet, ajudante do "fantasma" do teatro Grand Guignol (Herbert Lom) em "Murders in the Rue Morgue" ( Assassinatos na Rua Morgue, 1971) de Gordon Hessler. Mistura de Edgar Allan Poe com o Fantasma da Ópera de Gaston Leroux (com Lom reprisando seu papel de 1962).

                                                                  Dunn & Jason Robards

Michael Dunn viveria uma parodia de seu cientista-louco na comédia "The Werewolf of Washington" (O Lobisomem de Washington, 1973) de Milton M. Ginsberg, aonde o Dr.Kiss tem seu laboratório para experiências secretas...nos porões da Casa Branca!



Ele voltaria a ser apenas assistente de um médico louco em "Ill Castello delle Donne Maledette" (Frankenstein's Castle of Freaks, 1973) de Robert Oliver (Dick Randall). Nesta versão trash italiana, O Dr. Frankenstein é Rossano Brazzi e Boris Lugosi (!) é o monstro Ook...E claro, existe várias cenas de nudez! (nenhuma com Michael Dunn - não fiquem excitados!)



Dunn participou do terror espanhol "La Loba y la Paloma "(1974)  e foi Burns, o proprietário de um show de aberrações que faz negócios escusos com o cientista vivido por Donald Pleasense em "Mutations" (Estranhas Mutações, 1974) de Jack Cardiff. O filme também foi polêmico por utilizar algumas pessoas com problemas físicos graves no elenco, (assim como "Freaks" de 1932)...mas aqui a intenção era apenas o terror e o exploitation mesmo...



Estes últimos filmes foram finalizados depois de seu falecimento. Dunn era portador de uma distrofia grave (causa de sue nanismo) e morreu por complicações da sua doença. Ele também era músico (pianista, mas a doença o impediu de continuar), cantor e foi indicado ao prêmio Tony em 1963, e ao Oscar por sua narração no filme "A Nau dos Insensatos" (1965). Ele tinha apenas 39 anos.