terça-feira, 28 de janeiro de 2014

John Carradine: A Lenda! (Parte 3: Férias no México e Além... )



No final dos anos 60, Carradine viajou para o México, para estrelar uma série de filmes de terror e fantasia. Ele seria cientista louco novamente em "La Señora Muerte" (A Dama da Morte, 1967) de Jaime Salvador. Aqui ele é o Dr. Favel, que após uma experiencia mal sucedida tem que ajudar uma bela mulher (Regina Torne) que ele desfigurou a recuperar a sua forma, através do sangue de outras garotas.




Em "Pacto Diabólico" idem, 1967) de Jaime Salvador, ele é o envelhecido cientista Dr. Halback, que através de um soro obtido da retina de jovens mulheres, procura um elixir da juventude, mas acaba se transformando em um monstro assassino (interpretado por um ator mais jovem e completamente diferente de Carradine) à lá Dr.Jeckyll & Mr. Hyde.




Carradine, Basil Rathbone e Cameron Mitchell estiveram juntos na horrível comédia "Autopsia de un Fantasma" (1967) de Ismael Rodriguez. O ator vive Satanás (com chifres e cauda!), Rathbone (em seu último papel) é o fantasma de um homem que procura o amor de sua vida e Mitchell o cientista louco da vez que inventa um casal de robots problemáticos...



Carradine foi Drácula novamente em "Las Vampiras" (As Vampiras, 1968) de Federico Curiel, a briga do herói-luchador Mil Máscaras contra um bando de mulheres vampiras que aprisionaram o Rei dos Vampiros ( aqui também chamado de Branus) em uma jaula.






Mil Máscaras também foi o inimigo de John Carradine em "Enigma de Muerte" (Enigma da Morte, 1968) de Federico Curiel. John é um cientista/líder nazista escondido por de trás da figura inocente de um palhaço de circo.




De volta a seu país, John participou das séries de TV "Perdidos no Espaço", "Terra de Gigantes", "Bonanza", "Besouro Verde" ; foi um hipnotizador no telefilme "Daughter of the Mind" (1969) com Ray Milland e um feiticeiro em "Crowhaven Farm" (A Fazenda Crowhaven, 1969), ambos de Walter Grauman.



                                  Carradine e os "pequeninos" na Terra dos Gigantes (1969)

No cult-lixão "The Astro Zombies" (1968) de Ted V.Mikels, ele foi um cientista louco que cria zumbis assassinos com partes de cadáveres (com ajuda do tradicional assistente deformado) e é procurado pelo FBI e por espiões estrangeiros liderados por Satana (Tura Satana).



 Os zumbis (atores com absurdas máscaras de plástico), gostam de mutilar pessoas arrancando suas tripas, mas não são canibais...




O nível continuou o mesmo com "Blood of Dracula's Castle" (Sangue no Castelo de Drácula, 1969) de Al Adamson, um dos primeiros, dos muitos que fez para o produtor-diretor "B". John é George, o mordomo do casal Drácula (Alex D'Arcy e Paula Raymond) e faz sacrifícios de garotas virgens para a deusa lua. Filmado no rancho que pertenceu a Charles Manson com algum cuidado técnico, apesar do orçamento minguado.



Carradine foi um dos caçadores do lendário monstro "Pé Grande" no absurdamente ruim "Bigfoot" (1969) de Robert F. Slatzer, aonde também sofreram o ex-cowboy Ken Maynard e a estrela sexy de Russ Meyer, Haji!




Al Adamson realizou em 1965 o drama criminal de terror-trash "Psycho-A-Go-Go", sobre um ex-soldado que é escravizado por bandidos graças a um implante no cérebro. O diretor remontou o filme e acrescentou John Carradine como o tradicional cientista louco Dr. Vanard e o relançou como "Fiend With The Eletronic Brain" (1969). Ainda não contente com o péssimo resultado, colocou sua sexy esposa Regina Carrol no papel da filha de Carradine e o jovem ator Tommy Kirk para viver o detetive que investiga o caso e o "novo" filme agora se chamou "Blood of Ghastly Horror" (Horror e Sangue, 1972)...



Em outra de suas picaretagens, Adamson "canibalizou" o filme filipino "Kahariang Bato" (1956), uma aventura em preto & branco sobre uma tribo do tempo das cavernas e filmou a cores a história de uma equipe de astronautas liderada pelo Dr. Rynning (Carradine) que chega em um planeta distante e descobre dinossauros, homens da caverna vampiros e outros seres (cenas do filme filipino e de "One Million B.C." e "Unknown World" tingidas). Assim foi criado "Horror of the Blood Monsters" (1970), também conhecido como "Vampire Men of the Lost Planet"! ...Pobre John...






"O que eu estou fazendo aqui?" Parece dizer Carradine em "Horror of the Blood Vampire Men  Monsters of the Lost Planet".

Carradine voltaria aos Westerns com "Five Bloody Graves" (1970) de...Al Adamson!  Indígenas estupradores, prostitutas nuas, violência ao estilo "filme de Terror" e...


 John Carradine no papel de um velho pregador tarado. Uma tentativa de realizar um "western-spaghetti" americano e de fundo-de-quintal.





FIM DA TERCEIRA PARTE
(a seguir: Homenagens & Auto-Paródias...)

sábado, 25 de janeiro de 2014

John Carradine: A Lenda! (Parte 2: O Trash Ataca! )


Em 1956, John Carradine foi escalado junto com outros ícones do Terror para "The Black Sleep" (A Torre dos Monstros) de Reginald Le Borg. Basil Rathbone é o louco Dr. Cadman, que conduz experimentos com cirurgias cerebrais. Bela Lugosi é seu mordomo Casimir e John Carradine (Borg), Lon Chaney Jr. (Mungo), Akim Tamiroff (Odo) e Tor Johnson (Curry) são as vítimas/monstros resultados de suas experiências. 





                                                                     Mungo & Borg

No mesmo ano, Carradine apareceria em duas super-produções Hollywoodianas, ele foi Aaraão em "Os Dez Mandamentos" de Cecil B. DeMille e o Coronel Proctor em "A Volta ao Mundo em 80 Dias" de Michael Anderson.
Em "The Unearthly" (1957) de Brooke L.Peters (Boris Petroff), John é o cientista louco Dr.Conway, que utiliza os pacientes de um sanatório de deficientes mentais para suas experiências glandulares visando a vida eterna. Seu empregado Lobo (Tor Johnson) também é vítima de seus experimentos mas acaba ajudando a sexy mocinha vivida por Allison Hayes a escapar.




A época era de filmes baratos de ficção científica, e John foi um cientista que inventa um sino submarino para explorar as profundezas do mar em "The Incredible Petrified World" (1958) de Jerry Warren; um alienígena que traz uma mensagem de paz a Terra em " The Cosmic Man" (O Monstro da Era Atômica, 1959) de Herbert S. Greene e um físico nuclear que tem o corpo possuído por extraterrestres incorpóreos que querem dominar nosso planeta em "Invisible Invaders" (Invasores Invisíveis, 1959) de Edward L. Cahn.






     
                                          A nave ultra sofisticada do Homem Cósmico!







Nos anos 60, John Carradine esteve muito ocupado participando de filmes no cinema, séries de TV, Teatro, gravando discos com histórias de terror, fazendo leituras clássicas em círculos literários e recitais em clubes noturnos.
Mas seus filmes, principalmente os fantásticos foram cada vez mais baratos e de nível Trash. 


     Carradine como um alienígena divertido na série "Perdidos no Espaço" em 1967

Algo que seria muito comum no fim de sua carreira, começou por esta época; a inclusão de cenas suas em filmes já realizados, para aproveitar seu nome e figura conhecida. Em 1958, ele já tinha sido "enxertado" no filme japonês "Jujin Yukiotoko" de Ishiro Honda (Godzilla) para transforma-lo em "Half Human". Mas o caso de "Curse of the Stone Hand" (1964) é mais "dramático": O picareta Jerry Warren pegou dois excelentes filmes chilenos dirigidos por exilados argentinos em 1945 ("La Casa Esta Vacia", de Carlos Schlieper e "La Dama de la Muerte" de Carlos Hugo Christensen) e os remontou (destruiu seria a palavra certa), colocando ainda sequencias em um bar com John Carradine (como um velho bêbado) e Katherine Victor para amarrar as histórias!



Carradine foi o ator principal da miserável ficção científica "The Wizard of Mars" (1965) de David L. Hewitt, aonde vive o último sobrevivente de uma raça marciana e...



...reunido novamente com Lon Chaney Jr. (mas sem cenas juntos) em "House of the Black Death" (O Casarão da Morte Negra, 1965) de Harold Daniels e Reginald Le Borg. Neste último, Carradine é um feiticeiro do bem que combate as forças malignas lideradas por seu irmão maligno Belial (Lon Jr. com chifres!).


O ator foi o sinistro mordomo Cruikshank na comédia "Munster, Go Home!" (Monstros, Não Amolem!, 1966) de Earl Bellamy, longa baseado na série de sucesso na TV "Os Monstros", aonde Carradine também aparecia regularmente como o chefe de Herman Munster em uma funerária.



                                                              "Vovô" & Cruikshank


Carradine voltou ao papel de Drácula (ele também havia feito o personagem na série de TV "Matinee Theatre" em 1956) com o super-trash "Billy the Kid Vs. Dracula" (1966) de William Beaudine. Seu Drácula tinha agora um visual espalhafatoso, podia voar de dia na forma de morcego e era combatido pelo famoso bandido do velho oeste...




                                                      "I am Dracula...but my clothes..."

Logo John foi novamente reunido com Lon Chaney Jr. e Basil Rathbone como espiões malignos em "Hillbillys in a Haunted House" (Um Biruta na Casa do Espanto, 1967) de Jean Yarbrough. O trio de astros do horror sofre muito com as péssimas piadas e a pavorosa música country de quinta categoria desta comédia-musical!


Muito Trash também em "Dr. Terror's Gallery of Horrors" (ou simplesmente "Gallery of Horror" ,1967) de David L. Hewitt. Cinco histórias de terror com finais surpresa e cômicos aonde Carradine é o narrador e faz um feiticeiro no episódio sobre bruxaria "The Witches Clock". 



Seu colega (nos clássicos e nos Trash) Lon Chaney Jr. também foi envolvido nesta tranqueira absoluta mas muito divertida, rodada ás pressas  e renomeado para aproveitar o sucesso do filme em episódios da Amicus "Dr.Terror's House of Horrors" (As Profecias do Dr. Terror, 1964). Para aumentar a confusão, existe um filme-compilação de 1934 também chamado "Dr. Terror's House of Horrors" (com cenas de Le Golem, Vampyr, White Zombie e outros, reeditadas!)...




FIM DA SEGUNDA PARTE
(A seguir: Férias no México com Terror e muito mais...)

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

John Carradine: A Lenda! (Parte 1: Os Anos de Ouro)




John Carradine tem seu lugar assegurado entre os grandes astros do cinema de horror & fantasia, apesar das opiniões sobre seu trabalho irem de "um dos melhores atores de seu tempo até "um dos grandes canastrões das telas." A verdade é que o velho John era viciado em seu trabalho e raramente recusava algum papel, tendo atuado em grandes produções hollywoodianas e em projetos de fundo de quintal sem nenhum orçamento. Um dos mais versáteis e prolíficos atores característicos de todos os tempos.
Nascido Richmond Reed Carradine em Fevereiro de 1906 em New York City, seu pai era poeta, pintor e jornalista de rádio e sua mãe uma conhecida médica cirurgiã.



 Na escola, John se destacou como atleta e estudou arte com planos de se dedicar a escultura. Aos 18 anos viajou pelo interior dos Estados Unidos como artista plástico (pintor e escultor) itinerante e começou a estudar teatro clássico, fascinado pela obra de Shakespeare. Em 1930 atuou na peça "Window Panes" em Hollywood, ao lado do também (ainda) desconhecido Boris Karloff.



Logo começou a aparecer em pontas em diversos filmes, incluindo alguns clássicos de Terror da Universal como "O Homem Invisível" (1933), "O Gato Preto" (1934) e "A Noiva de Frankenstein" (1935), utilizando o nome artístico John Peter Richmond.
Já como John Carradine, teve seu primeiro papel de destaque como o sádico carcereiro de "The Prisioner of Shark Island" (O Prisioneiro da Ilha dos Tubarões, 1936) de John Ford, onde iniciou sua longa carreira como vilão nas telas.



Trabalhando para os estúdios Fox, fez uma grande variedade de papéis como o velho lobo-do-mar Long Jack em "Captains Corageous" (Marujo Intrépido, 1937) de Victor Fleming; o mordomo sinistro de "The Hound of the Baskervilles" (O Cão dos Baskervilles, 1939) de Sidney Lanfield com Basil Rathbone; o jogador Hatfield no clássico "Stagecoach" (No Tempo das Diligências, 1939) e o pregador Casey em "The Grapes of Wrath" (As Vinhas da Ira, 1940), ambos de John Ford.



                                                          Hound of Baskervilles

                                                                        Stagecoach


Com o fim de seu contrato com a Fox, Carradine passou a fazer trabalhos freelance e se os filmes diminuíram em qualidade, ganharam em status Cult! 
Seu primeiro papel principal foi em "Captive Wild Woman" (A Mulher Fera, 1943) de Edward Dmytryk. Ele vive o Dr. Sigmund Walters, que com seus loucos experimentos transforma um gorila em uma bela mulher (Acquanetta).



Foi o primeiro dos muitos papéis de cientista maluco de sua carreira, o seguinte veio logo com "Revenge of the Zombies" (A Vingança dos Zombies, 1944) de Steve Sekely, onde o Dr. Max Altermann (John) cria um exército de mortos-vivos para os nazistas nos pântanos da Louisiana.



Um de seus primeiros papéis caricaturais foi o de Toby, o deficiente mental que ajuda o médico louco vivido por Bela Lugosi a conseguir garotas para rituais de vudú a fim de restaurar a vida da esposa em "Voodoo Man" (Mistério da Magia Negra, 1944) de William Beaudine...



Mais 3 filmes de terror preencheram a agenda de John Carradine em 1944. Os dois melhores foram para a Universal. Em "The Invisible Man's Revenge" (A Vingança do Homem Invisível) de Ford Beebe, ele é um cientista louco falido que procura utilizar um homem invisível (John Hall) para ajuda-lo a controlar uma mina de ouro, e em "The Mummy's Ghost" (A Sombra da Múmia) de Reginald LeBorg, o sacerdote egípcio Yousef Bey, que ajuda a múmia-viva (Lon Chaney Jr.) a encontrar a reencarnação de sua amada princesa Ananka (Ramsay Ames).









No fundo do poço estava "Return of the Ape Man" (A volta do Homem-Gorila) de Philin Rosen, aonde ele era um cientista que tinha o cérebro transplantado por seu colega (Bela Lugosi) para o corpo de um homem pré-histórico congelado (Frank Moran).



Um dos melhores papéis principais de Carradine veio pela pequena produtora PRC, com "Bluebeard" (Carrasco Sedutor, 1944) de Edgar L. Ulmer. Ele vive Gaston, um artista na França de 1885 que seduz, se casa e mata várias mulheres. Apesar das limitações de orçamento, o filme é muito bom e Carradine interpreta bem o gentleman assassino.












Carradine foi o novo Drácula da Universal em "House of Frankenstein" (A Mansão de Frankenstein, 1944) e "House of Dracula" (O Retiro de Drácula, 1945) ambos de Erle C. Kenton. No primeiro filme seu papel é muito pequeno e o personagem é morto logo no início, mas o vampiro tem vital importância no filme seguinte e John se destaca como um dos grandes Dráculas das telas.





Seu próximo trabalho no gênero seria em "The Face of Marble" (Cara de Mármore, 1946) de William Beaudine para a Monogram Pictures. Novamente um cientista louco,aqui ele experimenta ressuscitar os mortos e acaba produzindo zumbis com caras esbranquiçadas e um cachorro fantasma!


No final dos anos 40, o ator retornou aos palcos de teatro e no meio dos anos 50 começou a trabalhar na televisão.
Nesta época, os grandes clássicos de terror dos anos 30 e 40 começaram a ser exibidos na TV, fazendo ressurgir a popularidade do gênero e o interesse do público pelos velhos astros assustadores...



FIM DA PRIMEIRA PARTE.
(A seguir: o terror Trash mostra suas garras e muito mais...)