terça-feira, 17 de setembro de 2013

As Faces de Drácula!


Em 1476, morria o Voivode Vlad IV (ou Vlad Tepes ou ainda Vlad, o Empalador) da Valáquia (hoje, parte da Romênia) e nascia uma lenda...
Em 1897, o jornalista ( e matemático, magistrado e autor teatral) Abraham (Bram) Stoker, publicou sua novela Gótica "Drácula" e influenciou a literatura, o teatro e principalmente o Cinema!
Em 1922, o ator alemão Max Schreck viveu a primeira encarnação do personagem nas telas em "Nosferatu, Eine Symphonie des Grauens".



Em 1930, o ator húngaro Bela (Lugosi) Ferenc Dezso Blasko, repetiria no cinema americano, o papel que já representara no teatro, e o (i)mortal conde vampiro ganharia uma cara definitiva...ou, não!




Carlos Villarias; Lon Chaney Jr.; John Carradine; Francis Lederer; Howard Vernon; Udo Kier; Jack Palance; David Niven; Frank Langella; George Hamilton; Louis Jordan; Duncan Regehr; Paul Naschy; Klaus Kinski; Leslie Nielsen; Gary Oldman e é claro, Christopher Lee, foram alguns dos muitos "Dráculas" das telas!









Drácula em Istambul (1953)

                       Drácula no Paquistão (1967)























       continua...afinal, Drácula sempre volta da tumba!





domingo, 8 de setembro de 2013

A Saga de Frankenstein: Criador & Criatura



Ele assombra as telas desde que os filmes de Terror começaram a existir...A criatura de Frankenstein, o homem sintético da novela da adolescente Mary Shelley publicada em 1818! A "primeira novela de ficção científica" foi encenada no teatro desde o séc.19 (muitas vezes como comédia), e chegou aos cinemas em um curta dos estúdios de Thomas Edison em março de 1910. "Frankenstein" (1910) de J.Searle Dawley, com Charles Staton Ogle como a criatura fabricada pelo jovem estudante de medicina vivido por Augustus Phillips.





Seguiu-se "Life Without Soul" (1915) de Joseph W. Smiley com Percy Darrel Standing como o "homem-bruto" e a versão italiana "Il Monstro di Frankenstein" (1920) de Eugenio Testa


A versão definitiva da história  apareceu no começo da "época de ouro" dos filmes de horror de Hollywood. "Frankenstein" (1932) de James Whale, com Boris Karloff como o "moderno Prometeus" é mais conhecido e influente que a própria novela de Mary Shelley.
E a figura do monstro de cabeça chata e eletrodos no pescoço (criada pelo mestre Jack Pierce) um ícone eterno do cinema.





"The Bride of Frankenstein" ( A Noiva de Frankenstein,1935), incluiu a presença da própria autora na história e consolidou a carreira de Boris Karloff como um astro do gênero. Também importante nestas duas versões iniciais dos estúdios Universal, é a interpretação expressiva e alucinada de Colin Clive como Henry Frankenstein (Vitor na novela).
A Universal continuou a saga, com outros atores como o Monstro (Lon Chaney jr., Bela Lugosi e Glenn Strange), e filhos e netos do Barão Frankenstein continuando seus experimentos.





A Hammer deu o passo seguinte mais importante, construindo uma saga baseada no personagem do cientista criador e visionário, encarnado com perfeição britânica por Sir Peter Cushing.













Criador e criatura tiveram várias faces, encarnações e inimigos em inúmeras sequencias, imitações, paródias e reinvenções do mito através dos tempos...






















da esquerda para a direita: Bride of Frankenstein (colorizada); Buenas Noches, Sr.Monstruo;
Mad Monster Party?; Fanny Hill Meets Dr.Erotico e El Hombre Que Vino del Ummo.